Roubaram Nossa Voz


É incrível a capacidade da sociedade em suportar os maiores absurdos sem protesto, sem atitude… Roubaram nossa voz?

Dias atrás fui almoçar e a TV estava ligada numa novela. A cena se passava numa escola de ensino médio e os alunos discutiam o crescimento da violência. A professora então declamou um trecho de um poema que ficou na minha memória e por isso resolvi escrever.

O poema se chama “No caminho com Maiakóvski” do poeta brasileiro Eduardo Alves da Costa e o trecho que me chamou a atenção é o seguinte:

"Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor do nosso jardim.
E não dizemos nada.

Na Segunda noite, já não se escondem:
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.

Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada."

Percebe como a carapuça nos serve?

Assistimos calados a bandidos que estupram, matam, torturam; políticos que não menos bandidos também roubam, não trabalham, só discursam, só viajam…

Assistimos crianças que estudam em escolas públicas sem uma merenda decente, sem condições decentes de estudar.

Agora vamos a outro extremo: futebol.

Quem não se lembra da torcida do Flamengo que invadiu o treinamento dos jogadores cobrando raça, dedicação, atitude?

E o Corinthians que fora envolvido em ‘maracutaias’ que o levaram a uma dívida astronômica, rebaixamento, etc. A torcida foi lá, depredou, queria bater nos dirigentes, etc.

E onde está essa raça, essa vontade de cobrar “justiça” quando assistimos ao mensalão? Ao Castelo de milhões, ao aumento absurdo do metrô sem a recíproca melhora de qualidade? Ao desejo dos deputados em incluir a tal verba indenizatória no próprio salário e acabar com a hipocrisia, num claro sinal onde assumem que usam a verba como salário; verba essa que segundo reportagem de hoje na Folha de São Paulo, consumiu R$ 500 milhões em apenas 8 anos?!?!!?!

Roubaram nossa voz? Infelizmente creio que sim.
Link para o poema completo.

Matéria: Rodrigo Piva

0 comentários

Denuncie

Diga não a pornografia infantil.

Se você encontrar imagens de crianças submetidas a situações constrangedoras, como poses ou atos sexuais, ou ler trocas de mensagens ligadas a pornografia infantil, exploração sexual de menores ou pedofilia, denuncie.